Alimentação e Fim de ano

Época de final de ano, uma delícia. Muita alegria, comemorações e COMIDAS!

Daí vem a dúvida do que comer para eliminar as gordurinhas conquistadas. Muitas pessoas começam a fazer as famosas dietas radicais. São diversas! Passa fome, perde peso e em pouco tempo recupera o peso novamente. Com certeza esse não é o caminho mais adequado.

Veja estas orientações:

1) Congele as sobras de carnes ou divida o que sobrou com todos os convidados. Um dos maiores problemas é a sobra de comida. Isso é inevitável com tanta fartura. Mas se continuar exagerando nas gorduras, não tem como não ganhar mais peso.

2) Faça refeições mais leves. Exagere nas verduras, legumes e saladas e dê preferência para o peixe cozido, assado ou grelhado.

3) Evite comer sobremesas. Dê preferência as frutas após as refeições.

4) Consuma os carboidratos integrais (pão integral, macarrão integral, aveia, granola, arroz integral, entre outros).

5) Faça atividade física.

6) Evite o consumo de bebidas alcóolicas após estas festas. Dê folga ao seu fígado!

7) Tome bastante água. Mas evite líquidos junto das refeições.

8.) Mesmo sem muita fome não deixe de comer nos intervalos das refeições. Dê preferências as frutas.

9) Não abuse das quantidades nas refeições!

O importanete é lembrar que essas celebrações são momentos de união e confraternização, não apenas reuniões focadas na mesa. Comer também é uma forma de comemorar, porém, cuidado e obstinação.

Feliz Natal e um Próspero Ano Novo!!!

Saiba o que é ortorexia e vigorexia, dois tipos de distúrbios ainda não reconhecidos

A ortorexia é um termo utilizado para o transtorno obsessivo-compulsivo caracterizado por um cuidado extremo em ingerir alimentos saudáveis, o que leva a importantes restrições dietéticas.

Os pacientes ortoréxicos excluem alimentos que eles consideram ser “impuros”, com a justificativa de que contêm herbicidas, pesticidas ou substâncias artificiais e se preocupam em excesso sobre as técnicas e materiais utilizados na preparação dos alimentos. Essa obsessão leva à perda de relações sociais e insatisfações afetivas que, por sua vez, favorece a preocupação obsessiva sobre a comida, fazendo da dieta a parte mais importante de suas vidas.

Os indivíduos com ortorexia também evitam obsessivamente os alimentos que possam conter corantes, aromatizantes, ingredientes geneticamente modificados, todos os tipos gorduras​​, alimentos que contenham muito sal ou muito açúcar. Esse distúrbio, muitas vezes, têm uma história ou características em comum com pacientes anoréxicos. Os ortoréxicos são muito cuidadosos, detalhados e bem organizados, com uma necessidade exagerada de autocuidado e proteção.

Já a vigorexia, também conhecida como dismorfia muscular ou “anorexia nervosa reversa” está associada à distorção de imagem corporal em indivíduos do sexo masculino. Esse transtorno envolve uma preocupação de não ser suficientemente forte e musculoso em todas as partes do corpo. Os indivíduos com vigorexia dedicam muitas horas de exercícios de força muscular e dietas para hipertrofia muscular. Como estão sempre insatisfeitos com sua condição física, isso acarreta em sofrimento pessoal e prejuízos na vida social.

Tanto a ortorexia quanto a vigorexia são distúrbios ainda não reconhecidos pelos manuais da DSM-IV (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders), devido à falta de estudos clínicos sobre o assunto. Trata-se de novos distúrbios que envolvem o comportamento alimentar, que vêm sendo discutidos cada vez mais entre os especialistas. Alguns estudos têm sugerido ferramentas de triagem para o diagnóstico precoce dessas doenças, mas ainda necessitam de validação clínica. De uma maneira geral, o tratamento da ortorexia e vigorexia requer uma equipe multidisciplinar, envolvendo médicos, nutricionistas, psicoterapeutas, dentre outros profissionais da saúde.

Matéria NutriTotal


Semente de Chia elimina gordura e traz benefícios para saúde

Este alimento é originário da Colômbia e do México e era usado pelos povos que habitavam essas regiões desde 2 mil a.C. Os estudos comprovam que essa semente é muito benéfica ao organismo, devido à grande concentração de nutrientes.

Fibra

A semente de chia apresenta alto teor de fibras, nutriente essencial para o bom funcionamento do organismo. As fibras apresentam a capacidade de promover saciedade, pois em contato com líquido no interior do estômago formam uma espécie de “gel” que dilata o estômago.

Estudos apontam que o consumo da chia pode auxiliar na perda de peso, pois auxilia na redução do apetite. Além disso, a formação desse “gel” aumenta o volume do bolo fecal, facilitando a eliminação das fezes e melhorando o funcionamento do intestino. O “gel” formado pela fibra em contato com líquido auxilia ainda no tratamento e prevenção de doenças como diabetes e doenças cardiovasculares. Parte da glicose e gordura em excesso permanecem retidos na fibra, sendo eliminados através das fezes.

Proteína

Outra característica é que a semente apresenta maior teor de proteína quando comparada a outros cereais como o milho, o arroz, a aveia, a cevada e o trigo. Por isso, o consumo da chia pode beneficiar vegetarianos, pois complementa o fornecimento deste nutriente na dieta.

A chia pode ser utilizada na alimentação de crianças, adolescentes e gestantes, por ter nutrientes essenciais para o crescimento e desenvolvimento. Praticantes de atividades físicas também podem se beneficiar do consumo desta semente, já que estes indivíduos necessitam de maior aporte protéico quando comparados a indivíduos sedentários.

Vitaminas e Minerais

Chia é uma boa fonte de vitaminas do complexo B, de minerais como: cálcio, fósforo, magnésio, potássio, ferro, zinco e cobre. “Por ser boa fonte de cálcio é uma excelente opção para aqueles que apresentam osteopenia e osteoporose. Para crianças e gestantes, o cálcio é importante para a formação da massa óssea”, explica Thais.

Antioxidantes

Os radicais livres são produzidos diariamente em nosso organismo, durante a respiração, digestão dos alimentos, exposição à poluição, dentre outros. Os radicais livres podem danificar as células levando desde envelhecimento precoce até doenças como câncer. Os antioxidantes são capazes de bloquear o efeito prejudicial dos radicais livres. A maioria dos antioxidantes são encontrados em alimentos de origem vegetal, como frutas, verduras, legumes e cereais integrais. Importantes antioxidantes encontrados nas sementes de chia são o ácido caféico e ácido clorogênico. Estudos indicam que o consumo de altos níveis de alimentos e bebidas ricos em compostos antioxidantes podem proteger contra doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.

Qual a diferença entre bebidas isotônicas e energéticas?

Apesar das bebidas isotônicas e energéticas terem sido desenvolvidas para melhorar o desempenho esportivo, este produto possui diferenças na composição nutricional, por isso o consumo deve ser feito com objetivos diferentes. A bebida isotônica tem o objetivo de repor as perdas hidroeletrolíticas durante a prática de exercícios, enquanto a bebida energética, por ter ação estimulante, tem o objetivo de aumentar a concentração e a resistência durante o exercício.

As bebidas isotônicas são líquidos que apresentam osmolaridade muito próximo a dos fluidos corporais (280-340 mosmol/kg). Essa propriedade faz com os isotônicos sejam rapidamente absorvidos após o consumo.

Neste sentido, o termo isotônico refere-se à tonicidade, ou seja, diz respeito à concentração iônica de um líquido em relação ao sangue. Um líquido pode ser hipotônico, quando sua concentração é menor que a do sangue, hipertônico quando a concentração é maior ou isotônico quando a concentração é igual a do sangue.

As bebidas isotônicas são consideradas suplementos hidroeletrolíticos com o objetivo de evitar a desidratação durante a prática esportiva.

Os isotônicos geralmente apresentam em sua composição básica sódio, potássio, cloreto e glicose, além de conter corantes, aromatizantes artificiais e conservantes. Podem ser encontrados na forma de pós, concentrados ou líquido pronto para beber.

As bebidas isotônicas devem conter baixo teor de carboidratos para garantir um rápido esvaziamento gástrico e levar menos tempo para atingir os tecidos que necessitam de hidratação e, assim, garantir uma rápida e eficiente reposição hidroeletrolítica. Além disso, não devem ser gaseificadas, pois os gases podem causar a distensão das paredes intestinais e a sensação de peso no estômago.

As bebidas energéticas, por sua vez, têm como principal característica a presença de substâncias com ação estimulante do sistema nervoso central na sua composição. Elas foram desenvolvidas para melhorar a resistência física, reações mais velozes, aumentar a concentração, evitar sono, proporcionar sensação de bem-estar, estimular o metabolismo e ajudar a eliminar substâncias nocivas do organismo humano.

De modo geral, as bebidas energéticas possuem em sua composição básica sacarose, glucose, taurina (400 mg/100ml a 1000 mg/250ml), inositol, cafeína (15-32 mg/100ml a 80 mg/250ml), glucoronalactona, vitaminas do complexo B e vitamina C, acidulantes (ácido cítrico ou ácido pantotênico), reguladores de acidez (citrato de sódio), conservantes, corantes e aromatizantes.

Matéria NutriTotal

Suplementação nutricional melhora estado nutricional de pacientes com Alzheimer

Pesquisadores brasileiros da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) publicaram na revista Nutrition Journal estudo demonstrando que a suplementação nutricional via oral é mais eficaz do que apenas a educação nutricional para melhorar o estado nutricional de pacientes com doença de Alzheimer (DA).

O estudo foi prospectivo e randomizado que avaliou, durante seis meses, 90 indivíduos (≥ 65 anos) com doença de Alzheimer, divididos em três grupos: grupo controle (n=27), grupo educação (n=25) e grupo suplementação (n=26).

Os participantes do grupo controle foram monitorados por avaliações nutricionais mensais e não receberam nenhuma intervenção nutricional. A intervenção no grupo educação consistiu de um programa educacional voltado para os cuidadores de cada paciente, em que participaram de 10 aulas interativas entre os profissionais e cuidadores. As aulas foram desenvolvidas com temas relevantes para as necessidades de intervenção nutricional, tais como: a importância da nutrição na doença, mudanças de comportamento durante as refeições, refeições atraentes, constipação, hidratação, administração de medicamentos, deglutição, suplementação nutricional, falta de apetite e esclarecimento de dúvidas. Os pacientes do grupo suplementação receberam suplementação nutricional via oral (em pó diluída em água), duas vezes ao dia (totalizando 680 kcal) durante seis meses, além da dieta habitual. Todos os participantes foram avaliados mensalmente quanto ao estado clínico e nutricional.

O déficit cognitivo de pacientes com Doença de Alzheimer é considerado como fator de risco para perda de peso e desnutrição, aumentando o risco de infecções, desenvolvimento de úlcera de pressão e má cicatrização, o que pode prejudicar a qualidade de vida.

O grupo suplementação apresentou aumento significativo nas medidas antropométricas, índice de massa corporal, circunferência do braço e área muscular do braço, em comparação com o grupo controle e educação. Ao final do estudo, o IMC do grupo educação foi significativamente maior em comparação com o grupo controle. O grupo suplementação também se mostrou superior a todos os outros grupos em relação aos níveis sanguíneos de proteínas totais que foram significativamente maiores e na contagem total de linfócitos.

“No Brasil, não existem estudos de pacientes ambulatoriais com qualquer tipo de suplementos nutricionais por via oral. No entanto, este estudo indica claramente que é importante que todos os profissionais de saúde, envolvidos no tratamento de pacientes com Doença de Alzheimer, sejam capazes de detectar a presença de déficits nutricionais. Isso permite que os profissionais de saúde encaminhem o paciente para um profissional de saúde qualificado, que possa instituir a intervenção nutricional adequada”, destacam os autores.

“A suplementação nutricional oral deve ser parte da dieta usual desses pacientes, como forma de fornecer nutrientes adicionais e, assim, contribuir para a melhoria do estado nutricional de pacientes com Doença de Alzheimer”, concluem.

Matéria NutriTotal

Conheça tudo sobre a Ricota

A ricota é um tipo de queijo obtido a partir do soro do leite o que a diferencia de outros tipos de queijos tornando-a mais leve e pobre em gordura.

Geralmente vem sem sal, e ada 50 gramas possui aproximadamente 69 calorias.

O alimento destaca-se na composição e fortalecimento de ossos e dentes por ser rico em cálcio, sendo que também é indicado na obtenção de massa muscular, por possuir as mesmas calorias de alguns tipos de suplementos.
Além das propriedades nutricionais a ricota é bastante versátil na culinária sendo utilizada no preparo de pratos doces e salgados como esfihas, tortas, patês e bolos.

Benefícios

Alta digestibilidade devido ao perfil de aminoácidos que compõe suas proteínas;
Presença de vitaminas (A, D, E, B) e minerais (zinco, iodo, selênio, potássio e fósforo);
Alto teor de cálcio, importante para a formação e manutenção de ossos e dentes, prevenção da osteoporose, e diferentes funções orgânicas.

Proteinas

O consumo de proteínas a cada dia é importante, porque o seu corpo utiliza proteínas de sua dieta para gerar proteínas dentro de suas células e tecidos. A quantidade de proteínas de que necessita diariamente depende do seu nível de atividade, o peso corporal e composição, mas em geral todos devem consumir pelo menos 0,8 g de proteína em sua dieta por 1 kg de peso corporal, recomenda a Universidade de Harvard . Uma porção de meia xicara de ricota semidesnatada contém cerca de 14,1 g de proteína, enquanto a ricota de leite integral contém 14 g.

Contra-indicações

Queijos frescos, pouco dessorados e fermentados, contêm de 3 a 4g de lactose por 100g de produto e assim como todo derivado de leite, a ricota traz contra-indicações para diabéticos por aumentar o nível de glicose e, para pessoas com intolerância a lactose.

Sanduiche de Ricota

Rendimento: 2 porções

Ingredientes

- 4 fatias de pão integral light,
- 1 xícara de chá de ricota amassada,
- 1 cenoura pequena ralada, tomate-cereja,
- folhas de rúcula
- 2 colheres de sopa de maionese light.

Preparo

Em uma frigideira antiaderente, doure as fatias de pão e reserve. Misture a ricota à maionese até obter uma pasta homogênea (se quiser reforçar a acidez do sabor, acrescente uma colher de chá de mostarda); parta os tomates-cereja ao meio e rasgue as folhas de rúcula com as mãos.

Espalhe metade da mistura de ricota em uma fatia de pão e monte as folhas de rúcula, a cenoura ralada e os tomates-cereja fatiados. Cubra com a outra fatia de pão.

Atenção: O que é obesidade sarcopênica?

A obesidade sarcopênica está associada com mudanças na composição corporal ocorrida no envelhecimento, incluindo aumento da gordura corporal e redução da força e massa muscular.

A sarcopenia é uma síndrome caracterizada pela perda progressiva e generalizada da força e massa muscular, que ocorre em consequência do envelhecimento. Assim, quando a sarcopenia está associada ao aumento de massa gorda em decorrência da obesidade, trata-se da obesidade sarcopênica.

Dentre as alterações ocorridas com a idade, o aumento da gordura corporal está relacionado com pior qualidade de vida, limitação funcional e menor desempenho físico, quando comparado com a diminuição da massa muscular isolada ocorrida na sarcopenia.

A obesidade sarcopênica vem se tornando prevalente na população de idosos. Além do próprio processo de envelhecimento, esta doença pode ser desenvolvida precocemente, devido aos padrões alimentares inadequados, sedentarismo, doenças crônicas e tratamentos medicamentosos.

Diversos estudos mostram que a obesidade sarcopênica representa uma condição negativa para a saúde do idoso, devido ao aumento do risco de quedas e fraturas, diminuição da capacidade de realizar atividades da vida diária, perda de independência, além de estar associada com aumento da mortalidade.

"Por isso temos que ficar sempre atentos á uma Alimentação Saudável e a prática regular de Atividade Física ao decorrer de nossas vidas."


 
Matéria NutriTotal

Sorvete de Chocolate sem Lactose

O que é Intolerância à Lactose?

É a incapacidade de aproveitarmos a lactose, ingrediente característico do leite animal ou derivados (laticínios) que produz alterações abdominais, na maioria das vezes, diarréia, que é mais evidente nas primeiras horas seguintes ao seu consumo.

E aqui vai uma deliciosa receita de sorvete de chocolate sem Lactose:

Ingredientes

2 copos “tipo requeijão” de bebida à base de soja sabor chocolate
¼ pacote de gordura vegetal (125 g)
2 ovos
5 colheres de sopa de açúcar
3 colheres de sopa de cacau em pó
1 colher de café de baunilha
1 colher de chá de emulsificante

Modo de preparo

1. Ferva a bebida à base de soja;
2. Em um liquidificador, coloque a gordura vegetal, os ovos, e o
açúcar;
3. Em seguida adicione a bebida à base de soja fervente e bata por 5
minutos;
4. Coloque a mistura em um recipiente e espere esfriar;
5. Depois de fria, leve a mistura ao freezer por mais ou menos 3 horas
ou até que esteja congelada;
6. Tire do freezer e pique em pedaços grandes;
7. Coloque os pedaços em uma batedeira e adicione o cacau em pó e a
baunilha;
8. Misture bem;
9. Em seguida adicione o emulsificante e misture novamente;
10. Não deixe que a mistura fique totalmente líquida;
11. Depois de bater bem, coloque novamente no recipiente e leve ao
freezer por, pelo menos, 4 horas;
12. Sirva gelado;

Tempo de preparo: 1h + 6h de freezer

Rendimento: 12 porções (650g de sorvete)

Valor nutricional: Porção de 80g (1 bola pequena) - 180,5 Kcal


Veja as diferenças entre a Batata Doce e a Batata Inglesa

Ambos os alimentos são cheios de vitaminas e carboidratos de moderado ou baixo índice glicêmico.

É importante saber a diferença entre os dois, pois são alimentos que diferem bastante em seus índices glicêmicos.

A batata-doce ganha em vários aspectos. Ela tem mais carboidratos, vitamina A, tiamina, riboflavina, ácido ascórbico, sódio, fósforo e cálcio. Além disso, seu índice glicêmico é mais baixo que o da batata inglesa, sendo uma ótima escolha para refeições ao longo do dia. O IG (índice glicêmico) da batata-doce é 77, enquanto que o da batata inglesa, cozida, é de 91. O consumo de batata-doce evita um pico de insulina que em último caso levaria a um acúmulo de gordura.

Muitos atletas, incluindo fisiculturistas, preferem a batata-doce à batata-inglesa nas fases de treinamento, tanto na de ganho de peso, quanto na de perda de gordura.

A batata inglesa, apesar de perder em vários aspectos, pode ser explorada quanto ao seu índice glicêmico elevado. Em uma refeição pós-treino, a batata inglesa é uma ótima escolha, ainda mais se for amassada ou cozida no vapor, aumentando ainda mais seu IG. Como funciona esse processo?

Como dito anteriormente, o índice glicêmico é uma grandeza que mede a velocidade com a qual a glicemia (nível de glicose no sangue) aumenta. Assim, alimentos mais simples de serem degradados, digeridos e absorvidos têm normalmente um índice glicêmico maior, justamente porque serão absorvidos mais rapidamente na forma de glicose e de outros monossacarídeos, aumentando a glicemia.

No caso da batata inglesa, se pegarmos uma batata inteira e amassarmos, vamos facilitar bastante a digestão na boca e no intestino delgado. Facilitando a digestão, vamos acelerar a absorção pelas células do intestino delgado. Como a velocidade de absorção é maior, assim também é o índice glicêmico de uma batata amassada, se comparado ao de uma batata inteira.

Isso pode ser usado para diversos alimentos, como tubérculos, frutas, cereais, etc. Quanto menores forem as partículas do alimento, maior será o "novo" índice glicêmico.

Seja no almoço, lanche ou jantar, a batata-doce e a batata inglesa são opções de carboidrato que não podem faltar no dia-a-dia de um atleta ou de um indivíduo saudável. Ambos são alimentos excelentes, com uma quantidade considerável de carboidratos, vitaminas e minerais.

Banana e suas inúmeras funções

A banana é rica em potássio, um elemento químico da maior importância para o saudável funcionamento do coração, é fonte de carboidratos, vitamina A, B6, B12 e C, potássio, ferro e cálcio.

A inclusão da banana, na dieta habitual dos adultos e idosos está sendo recomendada pelos especialistas, depois de estudos acentuarem a importância do mineral para a função muscular adequada, inclusive o coração.

Uma banana média, de 115g, fornece um terço das necessidades diárias recomendadas de potássio. Cada banana contém cerca de 100 calorias, principalmente sob a forma de frutose e amido, que o corpo converte em energia. É, por isso, um dos alimentos favoritos dos atletas, que a consideram um anabolizante natural.

Benefícios da banana

• Vitamina B6: rica nesta vitamina regula os níveis de glicose no sangue, que efetam o bom humor.

• Capacidade mental: pesquisas mostraram que frutas com elevado teor de potássio como a banana ajudam os alunos a aprender com mais facilidade e manterem-se mais alertas.

• Constipação intestinal: com elevado teor de fibras, incluir bananas na dieta pode ajudar a normalizar as funções intestinais, superando a limitação sem recorrer a laxantes.

• Estresse: potássio é um mineral vital que ajuda a normalizar os batimentos cardíacos, levando oxigênio ao cérebro, além de regular o equilíbrio de água no corpo humano. Quando estressado, a taxa metabólica do corpo humano se eleva, reduzindo os níveis de potássio, que podem ser reequilibrados com a ajuda da banana.

• A prática de atividade física leva a perdas significativas de sódio, potássio e cloreto através de transpiração. Para ter uma idéia, cada litro de suor carrega, em média, 300 mg de potássio. Acredita-se que a carência dele esteja ligada às cãibras. As causas desse incômodo ainda não são bem conhecidas, mas a falta de potássio, cálcio e magnésio, além da desidratação, pode levar à contração involuntária dos músculos - a banana alivia a caimbrã

• Depressão: a banana contém triptofano, um tipo de proteína que o organismo converte em serotonina, reconhecida por relaxar, melhorar o humor e, de modo geral, aumentar a sensação de bem estar e a auto confiança.

• O magnésio presente na banana provoca o relaxamento e a contração muscular, ajuda a melhorar o desempenho e a condições físicas do atleta.

• Colesterol: a banana é fonte de fibra solúvel, que ajuda a diminuir o nível de colesterol no sangue.

• Rica em frutooligossacarídeos (FOS), oligossacarídeos não-digeridos pelo organismo, que no intestino são metabolizados pela flora bacteriana. Sua fermentação ajuda no crescimento de bactérias úteis, como lactobacilos e bifidobactérias, importantes para regular o trânsito intestinal, diminuir o risco de câncer de cólon e favorecer a oposição a bactérias patogênicas (enterobactérias).

TABELA NUTRICIONAL (para 1 banana de 130 g)

Calorias 120 Kcal
Potássio 370 mg
Carboidratos 28 g
Vitamina C 20 mg
Proteínas 1 g
Ferro 1,6 mg
Gordura 1 g
Sódio 0 mg
Magnésio 20,30mg

Saiba o que o óleo de coco pode trazer de benefícios para sua saúde

O óleo de coco é obtido a partir da prensagem da carne do coco maduro, que pode ser fresco ou seco. É rico em substâncias antioxidantes e apresenta propriedades funcionais, conferindo diversos benefícios à saúde.
O óleo de coco pode auxiliar no emagrecimento devido ao seu efeito termogênico, que aumenta o gasto energético do organismo, além de causar saciedade. Auxilia também na prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares.

Além de sua ingestão ser benéfica ao organismo, o óleo de coco também pode ser utilizado com finalidades cosméticas sem conservantes e/ou substâncias químicas alergênicas.

Garante o aporte de antioxidantes na pele, atua como excelente hidratante, promove melhora da elasticidade cutânea, confere à pele uma aparência mais jovem e sadia e reduz danos capilares em diversos tipos de cabelos. Pode ser massageado diretamente sobre a pele, diariamente, principalmente para peles mais secas. Seu uso também é sugerido para prevenção de estrias que ocorrem por conta da gestação.

Lembre-se: Sempre consultar um profissional habilitado para indicação de um suplemento específico.

Quais são as estratégias nutricionais em pacientes com asma?

Estudos observacionais têm verificado ações benéficas da ingestão de antioxidantes (vitamina E, vitamina C, carotenoides, selênio e polifenóis), ácidos graxos ômega-3 e vitamina D no tratamento da asma.

A asma é caracterizada pela inflamação crônica das vias aéreas, iniciada e perpetuada pela resposta imune inadequada, resultando na redução ou obstrução no fluxo de ar.

Os compostos polifenólicos, como flavonóides presentes em frutas e chás, vêm ganhando destaque como potentes antioxidantes que podem contribuir no tratamento da asma. Um estudo verificou que, em adultos, o consumo diário de maçã foi associado com menor risco de desenvolver asma. Outra pesquisa mostrou que, em crianças, o consumo diário de banana e suco de maçã concentrado reduziu significativamente os sintomas da asma.

Kim et al (2005) e Laerum et al (2007) verificaram que o consumo de peixe, em pelo menos uma porção semanal, é capaz de proteger contra a asma e seus sintomas em adultos e crianças. Além disso, estudos também verificaram que a dieta mediterrânea está associada com menor risco de asma e que diminui os seus sintomas em crianças.

De maneira geral, as pesquisas vêm dando foco à prevenção por meio da intervenção nutricional durante a gravidez, com o objetivo de reduzir o risco de asma na infância. Estudos de coorte mostraram que ingestão materna de vitamina E, vitamina D, selênio, zinco e ômega-3 durante a gravidez reduz o risco de asma nas crianças.

Entretanto, mais estudos de intervenção nutricional são necessários para estabelecer as recomendações específicas e para que se possam instituir medidas de saúde pública para reduzir a prevalência de asma na infância.

Matéria NutriTotal

Conheça esta maravilhosa receita de Cookies de Damascos


A aveia e o damasco tornam este tradicional cookie mais nutritivo.

 
Ingredientes

70g de açúcar mascavo
125g de manteiga sem sal em temperatura ambiente
½ xícara de farinha de trigo com fermento
¼ de xícara de farinha de trigo integral
100g de flocos de aveia
5 damascos secos picados

Modo de preparo

Preaqueça o forno a 180ºC. Forre duas assadeiras com papel-manteiga;
Bata o açúcar e a manteiga numa tigela, até formar um creme. Incorpore as duas farinhas, a aveia e o damasco e bata bem;
Divida a massa em dez partes e modele em bolinhas. Coloque na assadeira deixando bastante espaço entre elas. Achate levemente as bolinhas e asse por 15-20 minutos, até que comecem a dourar, mas continuem macias por dentro;
Tire do forno e deixe esfriar.

Porção: 15 unidades

Preparo+cozimento: 15+20 minutos

Embalagem: Prepare com antecedência e guarde em um recipiente hermético por até 1 semana

Benefício para a Saúde: Prefira o damasco seco mais escuro, que não foi preservado com enxofre, pois essa substância prejudica especialmente os asmáticos. O damasco seco é um alimento antioxidante, isento de gordura e sódio e rico em fibras, que evitam a constipação e problemas de intestino. Ele também é abastado em beta-caroteno, poderoso antioxidante, e boro, que previne a osteoporose. A cada 100 gramas de damasco seco são ingeridas cerca de 240 calorias, além de significativas quantidades de potássio, que é essencial para manter os fluidos corporais, e ferro, principal componente da hemoglobina.
Se você está lutando contra o colesterol elevado, provavelmente já ouviu falar dos poderes da aveia para combater este mal, por ser rico em fibras solúveis, que se ligam à água e se transformam em um gel capaz de eliminar as gorduras das artérias e impedir que elas sejam absorvidas pelo intestino, o cereal reduz as taxas de LDL (colesterol ruim) e, de quebra, previne o câncer de intestino. E esses não são os únicos benefícios para quem enche a tigela de aveia. Ela é um cereal rico em diversos nutrientes: fibras, ferro, cálcio, magnésio, zinco, cobre, manganês, vitaminas (principalmente vitamina E) e proteínas.

Amendoim e suas Qualidades Nutricionais

O amendoim é um alimento com muitas qualidades nutritivas, que deveria ser mais amplamente utilizado na cozinha, tanto em pratos doces como em salgados e seu teor calórico deve-se ao alto conteúdo de proteínas e lipídeos. Suas proteínas são ricas em aminoácidos essenciais, que não podem ser sintetizados pelo organismo humano. Seu valor nutritivo não se altera durante a torrefação e seus lipídeos também são ricos em ácidos graxos essenciais.

O amendoim é uma fonte excelente de vitaminas do complexo B e uma das mais importantes é a B5. Este fruto também inibe a absorção do colesterol, reduzindo os riscos de problemas no coração. Com suas 5,4 calorias por grama, cada semente é uma verdadeira pílula de vigor.

Também tem propriedades terapêuticas, pois pode ser usado para problemas pulmonares e julga-se que, quando cru e sem sal, estanca as hemorragias.

Os cientistas estudaram a quantidade de antioxidantes, que protegem as células contra danos que podem ocasionar câncer e doença cardíaca, de 12 variedades diferentes de amendoim. O que eles descobriram foi que o amendoim tem uma quantidade de antioxidantes tão grande quanto a maioria das frutas, como por exemplo o morango.

Uma maneira saudável e simples de se consumir o amendoim, é comprando o amendoim cru. Espalhe-os numa assadeira e leve ao forno quente até a pele escurecer. Sacuda a assadeira para dourar por igual.

Obs: Caso queira salgar um pouco, não exagerar na quantidade de sal!!!

Suplementação de leucina aumenta síntese proteica pós-exercício

Pesquisadores norte-americanos publicaram um estudo na revista The American Journal of Clinical Nutrition mostrando que a suplementação de aminoácidos essenciais enriquecida de leucina aumenta a síntese proteica muscular pós-exercício.

Este foi um estudo cruzado e randomizado, que avaliou a suplementação de aminoácidos essenciais com duas diferentes concentrações de leucina na síntese de proteína muscular após exercício moderado, caracterizado pela realização de bicicleta ergométrica durante 60 minutos a 60% do VO2 máximo.

Oito adultos saudáveis receberam durante o exercício bebidas isonitrogenadas contendo 10g de aminoácidos essenciais em diferentes teores de leucina: uma enriquecida com 3,5g de leucina e outra contendo 1,87g.

O metabolismo de aminoácidos foi determinado após o exercício pela infusão de fenilalanina contendo isótopos 2H5- e [1-13C]-leucina, capazes de avaliar a incorporação intracelular dos aminoácidos. Os pesquisadores verificaram que a síntese proteica muscular foi 33% maior (p < 0,05) após o consumo da bebida enriquecida de leucina.

“Estes dados demonstram que o aumento da disponibilidade de leucina durante o exercício promove o anabolismo da proteína do músculo esquelético e reposição de proteína endógena. Estudos futuros são necessários para determinar os mecanismos moleculares e se os efeitos observados são influenciados pela intensidade do exercício ou outros nutrientes”, destacam os autores.

“Nossas descobertas indicam que o aumento do teor de leucina nos suplementos proteicos pode ser promissor para as populações suscetíveis à perda de massa muscular, como a caquexia e sarcopenia, devendo ser explorados nos próximos estudos”, concluem.

Matéria NutriTotal

Salada de Verão - Uma receita simples e gostosa para os dias de calor

Veja abaixo, os principais benefícios de se consumir saladas diariamente:


•Possuem baixas calorias, contribuindo para a perda de peso;

•Fornecem vitaminas, minerais e fibras, que auxiliam no bom funcionamento do organismo;

•Contêm alto teor de água, hidratando o corpo, especialmente em dias quentes;

•Exigem pouco tempo para o preparo, sendo preparações práticas;

•Possibilitam a mistura de várias cores, tornando o visual bonito e atrativo;

•São facilmente digeridas pelo organismo, desencadeando bem estar após o consumo (exceto as receitas à base de maionese ou outros produtos gordurosos);

•Permitem a combinação de diversos sabores e texturas

E aqui vai a receitinha:

Salada de Verão

Ingredientes:

Alface americana (á vontade);
Tomate (1 unidade);
Cebola (á vontade);
Peito de peru light (4 fatias);
Queijo minas frescal light (2 fatias).

Dicas para uma alimentação saudável e barata!!!

Quem nunca se deparou com o desafio de conseguir rechear a mesa de casa com muita saúde para toda a família mas estava com a grana curta naquele mês? Abrir mão da saúde é que não dá, não é?

Este é um desafio que assombra principalmente pessoas das classes média e baixa, que muitas vezes não sabe como melhor proceder nas compras semanais ou mensais bem como qual cardápio seguir para garantir o bem-estar de todos.

Aqui vai algumas dicas:

Busque frutas da época

Sim, nós já sabemos que verduras, legumes e frutas são essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo, mas o que fazer quando vamos a uma feira ou mercado e percebemos que as frutas estão muito caras? A primeira decisão pode ser procurar as frutas da época!

As frutas da época possuem duas grandes vantagens. A primeira é o preço, pois por ser época de colheita e venda das mesmas, seu preço é mais barato que o daquelas frutas que são produzidas fora de época. A segunda é que, por serem produzidas na época correta, menos produtos químicos são usados para induzir o crescimento, amadurecimento e conservação das mesmas, sendo assim, adquirir frutas da época e frescas pode ser um ótimo negócio para a sua saúde!

Prepare saladas deliciosas

Da mesma forma que as frutas, verduras e legumes trazem grandes benefícios à nossa saúde. Elas ajudam a saciar a fome, contribuindo para que quem está em uma dieta para perder peso consiga melhor controlar-se.

Saladas são ricas também em vitaminas e não há nada melhor que uma boa salada como entrada para começar uma refeição em família que prometerá muitos benefícios a todos, não acha?

Na hora de preparar a salada, não precisa exagerar na mesma: uma salada contendo alface, tomate e coentro, temperada com vinagre (o de maçã é muito bom e não é tão caro) e sal de cozinha (use sempre o sal de cozinha iodado, nada de usar sal grosso ou outro que não contenha iodo!) pode já ser de excelente tamanho!

Não esqueça do leite!

O leite é um dos alimentos mais completos e pode ser adquirido a um preço bastante acessível, o que nos motiva a indicá-lo para o consumo diário! Sim, beber leite ou comer alimentos derivados dele (queijo, iogurte, manteiga) ou preparados com ele (bolos, panquecas, etc.) todos os dias é muito importante para o nosso corpo, como fonte de cálcio, fósforo, iodo, potássio e várias vitaminas.

Arroz e feijão devem ser peças fundamentais nas refeições

O Ministério da Saúde recomenda o consumo diário de arroz e feijão devido à riqueza de minerais e vitaminas que estes contêm.

Bem, nós podemos recomendar também porque eles possuem um preço bastante em conta.

O almoço é a melhor refeição onde se enquadram esses alimentos.Você deve estar se perguntando: e o que fazer no caso de crianças que muitas vezes não querem comer feijão?

Nesses casos, a melhor coisa a se fazer é buscar um ponto de equilíbrio com a criança, onde se trabalhará um determinado número de refeições contendo uma quantidade mínima de feijões e buscar-se-á outras fontes de minerais como o ferro, por exemplo, a fim de que a criança não sofra deficiência de algum deles.

Fuja dos alimentos fast-food, industrializados, conservados por processo industrial e dos pré-prontos

E aqui está a grande tentação de todos nós: os alimentos industrializados (onde incluímos os fast-food).

Os motivos pelos quais os adquirimos são muitos: podem ter um preço mais em conta do que uma refeição decente em um restaurante, o sabor dos mesmos e a comodidade que eles nos trazem.

Infelizmente, pagamos caro por tantas guloseimas e o resultado pode ser tanto um peso no orçamento familiar como na saúde de todos.

Tendo em vista isso, aproveite esta sua jornada por “uma alimentação saudável e barata” e comece a pensar em preparar os alimentos em casa mesmo – quanto menos conservantes eles contiverem, melhor.

Além disso, preparar e/ou cozer os alimentos em casa geralmente é mais barato e permite-nos conhecer um pouco mais sobre cada alimento. Experimente ler um pouco sobre cada alimento que “vai para a panela” e tenha certeza de que o que você aprenderá será muito útil em seu cotidiano.

Varie de vez em quando o cardápio

Economizar não quer dizer que precisamos comer todos os dias as mesmas coisas, ok?

Comer algo diferente em um almoço ou jantar, ter um café da manhã com frutas diferentes, por exemplo, ajuda bastante a manter a harmonia no lar. Lembre-se daquele ditado: “arroz com feijão todo dia enjoa”, em outras palavras, variar faz bem, mesmo que isso aumente um pouquinho os gastos do fim do mês, sua família agradecerá.

Matéria Nutrição em Foco

Quais alimentos fornecem mais saciedade: sólidos ou líquidos?

Evidências sugerem que alimentos na forma sólida geralmente produzem maior sensação de saciedade do que na forma líquida. Isso porque os alimentos sólidos passam por maiores etapas de degradação enzimática, bacteriana e mecânica, proporcionando maior sinalização de saciedade do que os alimentos líquidos. Além disso, os alimentos sólidos podem conter maior teor de fibras do que na forma líquida, e isso pode contribuir para o aumento de saciedade e perda de energia durante a absorção.

Outro fator importante é que a ausência da mastigação durante a ingestão de líquidos diminui o tempo de exposição aos receptores orofaríngeos, que controlam dos centros da fome e da saciedade.
Assim, é possível que o trânsito rápido de líquidos através do estômago e intestino possa levar a estimulação reduzida de sinais de saciedade e menor percepção cognitiva do conteúdo energético.

Além disso, a composição de macronutrientes presentes nos alimentos também é um dos fatores principais na influência da saciedade. As proteínas são os nutrientes mais sacietógenos, em segundo lugar estão os carboidratos e, por último, os lipídios.

Matéria NutriTotal



Vitamina energética de morango e iogurte


Experimente esta deliciosa vitamina de morango e iogurte e sinta uma energia por mais tempo para realização de suas atividades!!!

Ingredientes

250ml de água
2 colheres de Maltodextrina sabor Morango ou Natural
6 morangos
2 colheres de sopa cheias de iogurte natural desnatado
2 cubos de gelo

Modo de preparo

Bata tudo no liquidificador e beba em seguida.
Contém carboidratos, proteínas e cálcio.

Valor Calórico (kcal)
162 kcal
Carboidratos (g)
37g
Proteínas (g)
3g
Lipídeos (g)
0,15g
Cálcio (mg)
100mg

A Maltodextrina é um excelente suplemento para ser usado em atividades longas, pois fornece energia por um longo período de duração e retarda a fadiga pela liberação gradual de glicose para o sangue. A maltodextrina contém polímeros, que são absorvidos de forma lenta e constante. O que pode ajudar a sustentar os níveis de energia durante atividades que necessitam de resistência.


Dormir pouco aumenta o peso nos adolescentes

Adolescentes que dormem menos de 8 horas diárias comem mais alimentos gordurosos e lanches que aqueles que descansam por mais tempo a cada noite, apontaram pesquisadores americanos de CHICAGO. Eles disseram que dormir pouco pode resultar em alterações crônicas na dieta, o que pode aumentar o risco de obesidade, principalmente em meninas.

Estudos anteriores mostraram que dormir pouco pode levar ao ganho de peso, mas as novas descobertas mostram de onde as calorias extras vêm. Aumentar a ingestão de alimentos gordurosos, tipicamente ricos em calorias, pode incrementar a ingestão calórica diária total e, se isso acontece regularmente, pode levar a um excesso de gordura.

A preocupação é que este hábito aumente o percentual de jovens adultos com obesidade. A pesquisa mostrou na verdade o que muita gente, adolescente ou não - já que adultos também apresentam tais hábitos, fazem quando passa muitas horas à frente da TV ou do computador à noite. Outro probleminha é que quanto mais tempo passar com as luzes ligadas, ou de frente para a luminosidade do computador ou da TV, menos melatonina será produzida e provavelmente maior será a inflamação e a resistência à insulina, o que aumenta o risco de doenças como diabetes e dislipidemias.

Apenas 34% dos adolescentes pesquisados dormiram em média 8 horas ou mais por noite. Segundo a Academia Americana de Medicina do Sono, os adolescentes precisam de pelo menos 9 horas de descanso diárias para se sentirem alertas e descansados.

Os pesquisadores descobriram que os adolescentes que dormiram menos de 8 horas durante a semana consumiram 2,2% mais calorias provenientes de gorduras e 3% menos calorias de carboidratos que os jovens que dormiram 8 horas ou mais por noite.

Porém esse risco pode ser facilmente invertido. A equipe descobriu que cada hora adicional de sono diminui em até 21% as chances de comer uma grande quantidade de calorias provenientes de lanches.


Dieta rica em gordura está relacionada com inflamação?

Sim. Estudos em animais e humanos têm demonstrado que as dietas ricas em gordura, especialmente as gorduras saturadas de cadeia longa, induzem a ativação de uma resposta inflamatória nas áreas do hipotálamo envolvidas com o controle da fome e da termogênese.

Dietas ricas neste tipo de gordura geram uma resposta inflamatória semelhante ao de uma infecção, pois aumentam a permeabilidade ao LPS (lipopolissacarídeo, também conhecido como endotoxina, derivada de bactérias do intestino grosso), estimulando os mesmos receptores que respondem ao processo infeccioso, o que produz inflamação de baixo grau.

Em modelos animais, vários estudos têm demonstrado que a dieta rica em gordura está associada com aumento da expressão de uma série de citocinas pró-inflamatórias ou biomarcadores de inflamação no tecido adiposo. Demonstrou-se em estudo feito com camundongos que o consumo prolongado de dieta rica em gordura induz ao estresse oxidativo e inflamação na próstata dos animais.

Os mecanismos fisiológicos que ligam a dieta rica em gordura à inflamação incluem a produção de várias adipocitocinas, incluindo adiponectina, resistina, leptina e ou citocinas pró-inflamatórias, como IL-1 (Interleucina-1), IL-6 (Interleucina-6) e TNF-alfa (fator de necrose tumoral alfa). Essas citocinas pró-inflamatórias afetam certos tecidos-alvo, causando inflamação através da ativação de fatores de transcrição que resultam no recrutamento e ativação de macrófagos e infiltração de linfócitos. Todos esses processos estão correlacionados com propensão de desenvolver eventos isquêmicos.

Além disso, esse processo inflamatório prejudica os circuitos neuronais que mantêm o controle homeostático das reservas corporais de energia, favorecendo assim o ganho de massa adiposa, estando associado com resistência à insulina e disfunção endotelial.

Outro tipo de gordura relacionada com aumento de resposta inflamatória são os ácidos graxos poli-insaturados ômega-6. Em condições inflamatórias, há um aumento da síntese de eicosanóides da série par provenientes do metabolismo dos ácidos graxos ômega-6, que são potentes mediadores inflamatórios. Por outro lado, os eicosanóides provenientes do metabolismo dos ácidos graxos ômega-3 resultam em resposta inflamatória atenuada, capaz de inibir a resposta inflamatória aguda, induzida ou agravada por eicosanóides derivados do metabolismo dos ácidos graxos ômega-3.

Matéria NutriTotal


Panqueca protéica, uma ótima opção como lanche da tarde para praticantes de academia

Panquecas protéicas, fácil de preparar, gostosa e ideal como lanche para praticantes de musculação com o objetivo de ganho de massa muscular.

Ingredientes:

1 copo de leite desnatado
6 claras
2 scoops de whey protein
1 banana media
1/2 xícara de aveia
canela em pó e adoçante a gosto

Modo de preparo:

Bata tudo no liquidificador.
Cozinhar na frigideira de teflon untada em fogo médio, mantenha a panela tampada para cozinhar a massa em cima pelo vapor, virando a panqueca de lado a cada 2 minutos, até obter uma densidade sólida e consistência.

Tempo aproximado de cozimento: 6 minutos.

(serve 2 porções)

Valores Nutricionais por Porção Inteira :

Calorias ------------------- 545
Proteínas ----------------- 74 gramas
Carboidratos ------------ 42 gramas
Gorduras ----------------- 9 gramas


Conheça as propriedades nutricionais do Gergelim

Esta pequena semente de sabor requintado e especial é uma grande fonte de vitaminas, em especial a vitamina E. Em nosso organismo atua como antioxidante e na prevenção do câncer devido o principio ativo “lignana”.Tem ação no bom colesterol HDL e reduz o mal colesterol LDL. Apresenta minerais como cálcio, fósforo e muitos outros.

As sementes de gergelim são pequenas, achatadas, coloração variando do branco ao preto; os teores médios dos componentes encontrados em 100 g de grão são: (5,4%), calorias (563), proteínas (18,6), óleo (49,1%), carboidratos totais (21,6%), fibras totais (6,3%), cinzas (5,3%), cálcio (1.160mg), fósforo (616mg), ferro (10,5mg), sódio (60mg), potássio (725mg), vit. A (30 UI), tiamina (0,98mg), riboflavina (0,23mg), niacina (5,4mg).

As sementes de gergelim contêm uma grande variedade de princípios nutritivos de alto valor biológico:Lipídios ou gorduras (52%), praticamente todos eles constituídos por ácidos graxos insaturados, o que lhes confere uma grande eficácia na redução do nível de colesterol no sangue.Dentre as gorduras do gergelim, encontra-se a lecitina, que é um foso-lipídio (gordura fosforada) que desempenha uma importante função no nosso organismo e componente essencial do tecido nervoso, também se encontra no sangue, no sêmen e na bílis e intervém na função das glândulas sexuais.

A lecitina é um poderoso emulsionante, que facilita a dissolução das gorduras em meio aquoso. Uma das suas funções no sangue consiste em manter dissolvidos os lipídios em geral, especialmente o colesterol, evitando assim que se deposite nas paredes das artérias (arteriosclerose). O gergelim é, juntamente com a soja, o vegetal mais rico em lecitina.


Saiba para que serve a Dextrose

Esse suplemento é mais conhecido como glicose e surge através da mudança das enzimas do amido de milho, sendo a mais importante fonte energética do corpo. Isso porque, para produzir a glicose, o corpo usa gordura, carboidrato e proteína, mas a parte mais usada é o próprio carboidrato. A dextrose é um monossacarídeo e é classificado como um carboidrato simples, já que a estrutura de suas moléculas é pequena. Nesse caso, a absorção e digestão da dextrose são rápidas, de poucos minutos que aumenta os níveis de glicose sanguíneos.

O índice glicêmico da glicose é por volta dos 100 e isso promove a liberação da insulina. Ela, por sua vez, transporta a glicose para as células vindo do sangue. Nesse transporte também estão presentes proteínas se o corpo disponibilizarem as mesmas. Sendo assim, a dextrose é considerada perfeita para ingerir junto com whey protein depois de um exercício físico.

Esse monossacarídeo é completo para dar energia mais rápido ao corpo a fim de que possa ser praticado uma atividade. Além de abastecer os níveis de açúcar no sangue.

As proteínas juntas com os carboidratos atuam melhor na absorção pelo corpo. Depois de treinar num ritmo intenso, os músculos necessitam muito de proteína e glicose. Os shakes anabólicos, portanto, devem conter proteínas e carboidratos que tenham um nível de glicose alto. Então é por esse fato que tomar whey protein e dextrose junta é tão recomendado.

É recomendável ingerir dextrose após os treinos, se o seu caso for uma melhor e mais rápida recuperação dos músculos. Todas as pessoas que praticam esportes ou exercícios físicos podem tomar dextrose. Ela foi elaborada para suprir os desgastes provocados pelas atividades intensas. Já diabéticos devem realizar um exame ou consultar um nutricionista ou médico, já que o nível de glicose desse suplemento é alto. Por isso é necessária muita atenção. O tempo para consumir dextrose é indefinido, pois é um carboidrato feito a partir do milho, ou seja, não resulta em efeitos ruins para o organismo.

Lembre-se: Sempre consultar um profissional habilitado para indicação de um suplemento específico.


Veja outras bebidas que hidratam o corpo após o treino, além da Água

Não adianta só fazer os exercícios direitinho e comer bem - hidratar-se adequadamente é de extrema importância. Quando praticamos atividades físicas, nosso corpo perde líquido e fica desidratado. É importantíssimo que haja a reposição de líquido seja feita imediatamente após o término do exercício, continuamente e de forma fracionada.

Quando pensamos em hidratação, a primeira coisa que nos vêm à cabeça é água. Porém, ela não precisa ser a única opção. Para hidratar-se, você também pode ingerir sucos e chás, por exemplo.

Aqui têm uma lista com algumas das bebidas mais comuns, se devemos ou não consumi-las após os treinos e por quê:

Bebidas isotônicas
SIM: Elas são bebidas cuja composição é semelhante aos fluidos do nosso corpo e devem ser usadas, principalmente, para repor água e sais minerais perdidos pela transpiração. Alguns exemplos de isotônicos são o soro caseiro, a água de coco e algumas fórmulas industrializadas.

Fique atento! Por conta dos sais minerais em excesso, essa bebida deve ser evitada por gestantes, lactantes, pessoas com hipertensão e/ou diabetes e pacientes com doenças renais não devem consumir a bebida isotônica industrializada.

Refrigerantes
NÃO: Os refrigerantes fornecem apenas açúcar, água e carboidratos, não possuindo nenhum tipo de nutriente. Além disso, eles são bebidas gaseificadas e, por isso, podem causar desconfortos intestinais, além de ter uma absorção mais lenta.

Bebidas energéticas
NÃO: Os energéticos são bebidas estimulantes e, por isso, contêm muita cafeína, além de açúcar. Eles têm, sim, aminoácidos e vitaminas. Porém, não são nada eficazes quando o assunto é hidratação, pois a combinação açúcar e cafeína auxilia na eliminação de água, devido ao efeito diurético da cafeína e o aumento da sede, ou seja, consumir energéticos causa o efeito contrário.

Água de coco
SIM: A água de coco é considerada um isotônico natural, já que apresenta vários minerais, como sódio, potássio, fósforo e cloro. Por isso, além de hidratar, ela ajuda na recuperação de minerais. É um líquido perfeito para reposição de água e minerais perdidos em atividades físicas ou na desidratação.

Suco de frutas naturais
SIM: Ricos em vitaminas e minerais, os sucos de frutas cumprem bem o papel de hidratar o corpo. Além de refrescantes, fornecem energia, acalmam e hidratam. Mas devem ser alternados com a água e não substituí-la.

Água de cheiro ou com sabor
NÃO: Muitas pessoas tem trocado a água natural por esse tipo de água aromatizada ou com um leve sabor de fruta como fonte de hidratação. Ou seja, estão literalmente substituindo a água. O que muitas pessoas podem não saber é que, para que esse tipo de bebida fique com sabor, são adicionados aromatizantes, conservantes e adoçantes (para substituir o açúcar).

Como alguns conservantes e adoçantes são à base de sódio, a tendência é que essas bebidas aumentem o nível de sódio do organismo. Apesar de todo apelo comercial acerca desses produtos, a melhor escolha é sempre a água.


Dieta inibe o desenvolvimento e progressão do câncer

Estudo publicado na revista científica Cancer Research mostrou, com resultados pré-clínicos consistentes, a capacidade de uma dieta com baixo teor de carboidrato em evitar o ganho de peso, mas também inibir o desenvolvimento e progressão do câncer, em camundongos.

Os pesquisadores testaram a hipótese de que células cancerígenas dependem de mais glicose para o seu crescimento do que as células normais. Assim, o objetivo do estudo foi investigar os efeitos de uma dieta com baixo teor carboidratos e rica em proteínas sobre a taxa de crescimento de tumores.

Foram injetadas células de carcinoma colorretal nos camundongos e, em seguida, os animais foram divididos em diferentes grupos, recebendo as seguintes dietas:

Grupo dieta ocidental: contendo 55,2% de carboidratos (CHO, rico em sacarose), 23,2% de proteínas (ptna) e 21,6% de lipídios (lip);

Grupo 8% CHO: contendo 8% de CHO (rico em sacarose), 69,4% de ptna e 22,6% de lip;

Grupo 10% CHO: contendo 10,6% de CHO (rico em amilose), 63,5% de ptna e 25,9% de lip;

Grupo 15% CHO: contendo 15,6% de CHO (rico em amilose), 58,2% de ptna e 26,2% de lip.

Dentre os grupos estudados, os autores observaram que os tumores cresceram mais lentamente nos animais do grupo 10% CHO (p<0,05), devido à presença de CHO com alto teor de amilose. Os animais do grupo 8% CHO apresentaram menor crescimento tumoral em relação ao grupo dieta ocidental, mas não em relação ao grupo 10% CHO e 15% CHO, pois o seu conteúdo de carboidrato foi composto por sacarose e, interessantemente, apresentaram perda de peso acentuada. Os pesquisadores verificaram que a dieta do grupo 15% CHO, composta principalmente por amilose (CHO complexo), reduziu a incidência de tumores em modelo animal que desenvolveu câncer de mama espontâneo. Isso mostra que a dieta com baixo teor de carboidrato inibe tanto a proliferação do câncer quanto o processo de iniciação da carcinogênese.

“Mostramos com o nosso estudo que a dieta com baixa ingestão de carboidratos simples e rica em proteínas retarda o crescimento e reduz a incidência de tumores, bem como melhora a resposta a terapias existentes, sem levar à desnutrição ou insuficiência renal”, destacam os autores.

“Concluímos que essa abordagem dietética tem benefícios potenciais na redução da incidência e tratamento do câncer. Há necessidade, portanto, de uma investigação mais aprofundada de sua aplicabilidade na clínica, especialmente em combinação com terapias existentes”, concluem.

Matéria NutriTotal



Polifenóis das Uvas ajudam contra a Obesidade

Um estudo efectuado com hamsters sugere que suplementos ricos em anti-oxidantes contendo polifenóis da uva Chardonnay podem proteger contra o stress oxidativo ligado à obesidade. Os investigadores da Université de Montpellier verificaram que animais alimentados com uma dieta rica em gordura mas suplementados com extractos de uvas tinham níveis de adiponectina 61% superiores aos animais com a mesma dieta mas sem suplementação. Ora, a adiponectina é uma hormona proteica inversamente proporcional aos níveis de gordura corporal.

“Esta é a primeira vez que o consumo de fenóis das uvas demonstrou reduzir o desenvolvimento da obesidade e as vias metabólicas relacionadas com esta doença, incluindo a secreção da adiponectina e o stress oxidativo.” – afirmou o orientador do estudo Jean-Max Rouanet.

Os investigadores franceses dividiram os hamsters em três grupos: ao primeiro grupo deram uma dieta standard, ao segundo uma dieta rica em gordura e ao terceiro a mesma dieta rica em gordura mas também extracto de semente de uva.

Após duas semanas, os cientistas verificaram que só o grupo com uma dieta rica em gordura (mas sem suplementação) tinha aumentado a gordura abdominal. Por outro lado, o aumento de parâmetros tais como o açúcar no sangue, triglicéridos, insulina e resistência à insulina só tinham sido observados nos grupos com essa mesma dieta. Contudo, a suplementação do terceiro grupo “impediu, em parte, estes efeitos” afirmaram os investigadores. De facto, a insulinémia diminuiu 15%, a leptinemia 45%, e a glicémia, os valores de resistência à insulina e as medidas de stress oxidativo também diminuíram consideravelmente.

Estes resultados sugerem que o extracto de sementes de uva atua como anti-oxidante, provocando efeitos anti-obesidade. Para além disso, este estudo realçou o papel do stress oxidativo no aparecimento de doenças associadas à obesidade, tornando-o um alvo na intervenção para diminuir esta patologia.

Matéria Nutrilogia


Sopa Halloween, sucesso entre as crianças

Tanto a abóbora como a moranga dão uma sopa encorpada e cremosa, com um toque adocicado, que faz sucesso principalmente entre as crianças.

Ingredientes

1 colher (sopa) de azeite
1 cebola picada
1 cenoura
1 talo de aipo picado
350 g de abóbora ou moranga em pedaços
1 folha de louro (opcional)
1 colher (chá) de ervas secas (opcional)
1 colher (sopa) de curry em pó (opcional)
2 ramos de alecrim
1,2 litro de caldo de legumes
sal
pimenta-do-reino

Modo de preparo

Aqueça o azeite numa panela grande e refogue a cebola por 7 minutos. Junte a cenoura, o aipo e a abóbora. Tampe a panela parcialmente e cozinhe por 3 minutos;
Junte as ervas (ou o curry em pó, mais picante) e o caldo. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe por 20 minutos, até que os vegetais fiquem macios;
Retire a folha de louro e o alecrim. Processe no liquidificador e tempere a gosto.

Porções: 4                        Preparo+Cozimento: 15+30 minutos

Embalagem: Prepare com antecedência e mantenha na geladeira por 3 dias ou congele em porções individuais.

Sirva com: Pão integral

Benefícios para a Saúde: A polpa alaranjada da moranga e da abóbora fornece grande quantidade de betacaroteno, além das vitaminas B, C e E, magnésio e potássio. O organismo absorve melhor o betacaroteno quando ele é cozido com um pouco de óleo. Já a pimenta tem seu efeito termogênico, o que ajuda no aceleramento do metabolismo e conseqüentemente na perda de peso. Segundo alguns estudos, a cúrcuma encontrada no curry tem ação na prevenção da obesidade porque esta substância inibe a formação de novos vasos sanguíneos, reduzindo assim o crescimento da gordura.

Conheça um pouco mais sobre a Albumina/Clara de Ovo e seus benefícios na Atividade Física

O que é a albumina?

A albumina é uma proteína de alto valor biológico presente principalmente na clara do ovo, no leite e no sangue. É freqüentemente usada por praticantes de musculação como uma fonte protéica.

Quais os benefícios da Albumina?

· Formação de enzimas que regulam a produção de energia
· Ganho de massa muscular magra
· Evitar os níveis elevados de gordura no organismo
· Entre outros:

Mais de 50% da vitamina B2 do ovo estão na clara. Nela, estão todos os aminoácidos essenciais e não-essenciais, além das vitaminas no complexo B e 12 minerais, como zinco e manganês. Além de ser uma fonte barata de proteínas, a clara tem uma boa biodisponibilidade, ou seja, o organismo consegue absorver com facilidade seus nutrientes. “E é um fator para a formação de fibras musculares, elásticas e colágenas. Sintetizadas a partir de seus aminoácidos essenciais”, diz o endocrinologista Tércio Rocha.
O melhor modo de consumir a Albumina é misturá-la em sucos de frutas, de preferência as que sejam ricas em vitamina C. Isso porque a vitamina C ajuda na absorção e fixação destes aminoácidos.
Nem todos, porém, devem acrescentar claras à alimentação. Pessoas com problemas renais devem evitá-las, já que o excesso de proteínas pode agravá-los e ainda levar à formação de cálculos. “Proteínas realmente têm resultados satisfatórios no aumento de massa muscular. Mas para isso, o consumo precisa ser proporcional à demanda calórica e protéica", adverte a professora do Instituto de Nutrição da UERJ, Cláudia Valéria Cardim da Silva. Ela enfatiza que há limites para este consumo. Não sendo absolutamente bem dosado, toda esta proteína em excesso pode provocar uma sobrecarga dos rins e do fígado. Logo, quem quer ganhar músculos e não correr riscos deve buscar orientação especializada. Assim, previne erros e exageros.